A ordem é organizar

Publicado no dia 9 de maio de 2018


O que é essencial para você? Como você lida com sua falta de organização? Vou te ajudar, sugerindo um breve questionário e dando algumas dicas para que você consiga se desvencilhar do que é inútil. 

imagem de moça olhando para uma tela com retângulos coloridos, dispostos aleatoriamente
Banco de Imagens Pxhere

No artigo  ‘Como mudar imediatamente a sua vida para melhor’,  de Lolly Daskal, num dos itens sugeridos pela autora foi escrito: Pense em todas as coisas da sua vida que são importantes para você - o essencial - e, em seguida, elimine todo o resto. Este sistema ajuda você a simplificar sua vida e ver o que você deve se concentrar. Pode funcionar para qualquer coisa que você tenha em sua vida, profissional ou pessoal. E apenas o ato de deixar as coisas irão ajudá-lo a simplificar, a se concentrar no que é importante e a construir a vida que deseja.

Cultive o essencial e o resto é desnecessário!

Esse fragmento traduz muito bem a essência do viver com menos, ganhando com isso mais liberdade e qualidade no dia a dia.

Organizar parece difícil, mas é bem mais simples do que parece.

A gente vive acumulando objetos, que no momento que se guarda a ideia é usar em ocasiões especiais, ou porque pode-se precisar em certas situações imaginárias, ou representam memórias afetivas. Existe, também, uma necessidade de posse das coisas que preencham espaços, sejam físicos ou emocionais.

Se você se sente incomodado com o excesso de coisas ao seu redor, a desorganização tornou-se crônica, e já não sabe muito bem como lidar com essa situação e nem por onde começar, calma! Para tudo tem solução.

Imagem de frase de William Morris sobre não ter nada que não se sabe para que serve

Primeiro, responda e reflita sobre as 4 perguntas abaixo, mas seja honesto com você mesmo:
  1. Quanto às suas coisas, você acha que tem o suficiente ou tem demais?
  2. Você se sente invadido com os objetos que tem?
  3. Tudo o que você possui ocupa tempo demais em sua vida e você gasta mais do que deve?
  4. Como você poderia se livrar de tudo o que é desnecessário?

Ao responder, você já consegue ter uma ideia de como as coisas influenciam sua vida, de forma positiva ou negativa.

Claro que você não conseguirá saber tudo o que tem, e por essa razão que muitas vezes se compra em duplicidade. Daí a importância de fazer uma análise do que se tem para, então, separar o que não é usado ou necessário e que só ocupa espaço.

Vamos à prática?

A 1ª etapa é fazer uma triagem – um bom momento para isso é nas mudanças de estação – final da Primavera e final do Outono, preparando-se para o Verão e o Inverno, quando roupas, acessórios e outros materiais são retirados das gavetas e armários para serem usados nessa época, em função do clima quente ou frio!

Imagem com containers coloridos para reciclagem de materiais
Banco de Imagens Pxhere
Comece separando o que você usa com frequência do que usa de vez em quando e do que nunca usa – coloque em caixas coloridas ou com etiquetadas para identificar as peças que você está separando. Avalie e pense se é importante continuar mantendo o que não é usado ou que é usado vez ou outra. 

Eu, por exemplo, quando me mudei de apartamento, herdei de minha filha um gato persa - lindo! Mas a caixa de proteção na qual ele veio era muito grande para acomodar na área de serviço". Então, pensei: o gato é caseiro, só precisaria dela para levá-lo ao veterinário por conta das vacinas anuais. Teria sentido mantê-la? Decidi-me desvencilhar da caixa e quando preciso, peço um pet-taxi, que funciona muito bem.


AZUL: papel
VERMELHO: plástico
VERDE: vidro
AMARELO: metal
PRETO: madeira
LARANJA: resíduos perigosos
BRANCO: resíduos ambulatoriais e de serviços de saúde
ROXO: resíduos radioativos
MARROM: resíduos orgânicos
CINZA: resíduo geral não reciclável ou misturado, ou contaminado não passível de separação.

Voltando à separação de suas coisas, a 2ª etapa é tirar do caminho o que você concluiu que já não é mais importante ficar guardando. Existem espalhados pela cidade pontos de coleta ou ONGs que aceitam doações e até retiram em casa. Faça isso!

Economia de tempo é o que você ganha, quando se desfaz de:

  • Pequenos objetos espalhados pelas estantes, que dificultam na hora da limpeza e poluem o ambiente.
  • Coleções de Revistas, apostilas de cursos ou livros - acabam ficando desatualizados e você pode pesquisar na Internet os mesmos assuntos bem mais completos.
  • Roupas justas, calçados e acessórios que saíram de moda e estão ocupando espaços no armário – com o tempo as traças e o mofo poderão destruir essas preciosidades sem que você perceba.
  • Eletrodomésticos que estão parados, porque precisariam ir para a Assistência Técnica e, talvez não valha a pena o custo do conserto.
  • Aparelhos eletrônicos esquecidos na gaveta e que já estão ultrapassados por conta das novas tecnologias.
  • Contas, documentos e papeis diversos que já passaram da data de guarda e só entulham os arquivos.
  • Louça ou mobília dos antepassados, brinquedos, roupinhas de bebê, que talvez você pense que seus filhos ou os filhos deles, ao crescerem, vão querer guardar e usar – com espaços cada vez menores será difícil acomodar todas essas relíquias.
Imagem de uma mala com um violino e um cartaz de agradecimento
Banco de imagens Pxhere
Essas são algumas formas de desvencilhar-se de coisas que não são essenciais e só contribuem para o acúmulo dos espaços.

Que tal tentar e colocar em prática as sugestões dadas aqui?

Mas, se tiver muita dificuldade de se livrar do caos ou achar que você se tornou um desorganizado crônico, a Oficina de Suporte aos Problemas de Desorganização veio para ajudar você nessa hora.  

Visite a página da Oficina!

Aproveito para desmistificar o rótulo que nós, profissionais de organização, recebemos quando da visita de avaliação na casa do cliente que quer ajuda com a desordem que tomou conta de sua vida, mas tem receio de que, ao pedir essa ajuda externa, tudo o que ele tem de mais precioso será ‘descartado’ ou jogado fora.

Isso não acontece, porque um organizador profissional qualificado para atender pessoas cronicamente desorganizadas é muito cuidadoso e respeita o que é importante para o cliente. Nada é jogado ou tirado do lugar, sem que o cliente queira ou permita e é sempre feito a 4 mãos, ou seja, com a participação do cliente.

Deixe aqui seu comentário, contando um pouco como você lida com suas coisas e o que considera essencial para guardar.

Meu forte abraço,
Yolanda Hollaender
Sócio fundadora da ANPOP e membro do ICD

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Também acredito que cada vez mais as pessoas terão menos posses, menos coisas para se preocupar, e usarão o tempo para adquirir conhecimentos, viajar e viver novas experiências. Mais ser e menos ter!

      Excluir

Deixe aqui seu comentário. Sua opinião é importante para nós!

Fique por dentro das novidades

Digite seu endereço de email e fique por dentro das novidades!

O que você procura?

Contato:

suporte@desorganizacao.com.br
Telefone: 11 5524-2014

Destaques no blog

Subir