Minha paixão é ajudar quem é desorganizado

Publicado no dia 24 de abril de 2015


Meus trabalhos mais recentes têm sido voltados às pessoas com bastante dificuldade para se organizarem. E são conquistas importantes, porque a aceitação desses clientes para que se comece a mexer nos seus objetos pessoais, em alguns casos levou de 12 a 18 meses para se concretizar até que as pessoas se convenceram de que precisavam contratar o serviço.

A recorrência mais comum entre pessoas desorganizadas que procuram ajuda é adiarem o início do trabalho justificando que ainda não estão preparadas; ou a situação financeira está comprometida no momento; o tempo está escasso; sentem vergonha em reconhecer a falta de habilidade para com a organização, porque familiares as criticam e acham absurdo alguém não saber organizar uma casa. Enfim, justificativas que postergam a tomada de decisão, pois tem muita emoção envolvida, muito apego e grande sofrimento.

Quando percebo que o cliente em potencial tem traços de um desorganizador crônico e sofre com isso, afetando sua qualidade de vida, não desisto facilmente. Procuro manter contato enviando mensagens, cumprimentando pelo aniversário, enviando um artigo que eu escrevo no blogue, entre outras mensagens, até que chegue o momento de despertar o interesse e a disposição desse cliente para dar o primeiro passo.

Num de meus atendimentos, o cliente adiou por cinco vezes a primeira visita – minha persistência teve efeito e consegui iniciar o trabalho de organização em sua casa. Continuo atendendo esse cliente e posso afirmar que a organização dirigida deu resultado e ajudou muito no resgate de sua autoestima.

A fase seguinte ao término do trabalho é continuar tendo contato com esses clientes para dar um suporte de manutenção, e ficar atenta para que eles não voltem a acumular ou a se desorganizar a ponto de atrapalhar seu bem-estar.


Para ilustrar um desses casos conquistados, após quase um ano de troca de e-mails, consegui agendar o trabalho na casa de uma cliente. Ao chegar, ela estava extremamente ansiosa querendo começar logo e com a expectativa de que nesse dia tudo estaria organizado. Pedi a ela que sentássemos um pouco para conversar, aproveitando esse momento para preencher alguns formulários formais na contratação de meus serviços e fui explicando como iríamos trabalhar naquele primeiro encontro.

Nesse dia, seria por um período de quatro horas – mais tempo seria improdutivo e clientes com problemas de desorganização acabam se cansando muito facilmente.

Depois que a ansiedade da cliente ficou mais branda, fomos ao espaço que deveria ser organizado e iniciamos a triagem de parte dos armários. Ao final da tarde, tínhamos descartado vários papéis e livros sem uso, além de separar o que permaneceria nas prateleiras. Nesse momento, a cliente comentou que estava se sentindo livre e feliz pelo progresso, mas que sem minha ajuda ela não conseguiria se desfazer tão rapidamente de tanta coisa.

Preciso dizer o quanto foi bom ouvir esse comentário? Foram apenas quatro horas que nos dedicamos a separar os materiais, com a cliente participando do processo. Ela pôde ver o resultado e se sentir aliviada. Foi pouco o que fizemos, no entanto, uma vitória! Nos encontros posteriores essa sensação de liberdade se repetiu, tornando a tarefa mais leve e produtiva.

O trabalho que venho realizando tem sido bem gratificante, porque vejo resultados positivos e levo a certeza de que tenho conseguido contribuir um pouco para aliviar o sofrimento de pessoas cronicamente desorganizadas. 
Yolanda Hollaender
Personal Organizer
Sócio-fundadora da ANPOP e membro do ICD

2 comentários:

  1. Yolanda, tudo bem?

    Sou PO também atuo em Porto Alegre e estou lendo seus artigos, são ótimos!!!!
    Sobre essa postagem em especial, vc acha que possoas com tendencia a acumular, o nosso trabalho funciona melhor em doses teraupeuticas (como uma diária reduzida ou só 4 horas de trabalho por dia), para que eles não se cansem ou percam o interesse no processo?

    Grande beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Larissa! Fico satisfeita que meus artigos publicados neste blogue estejam contribuindo para que você aprimore seu atendimento aos desorganizados crônicos. Sou favorável ao atendimento em curtos espaços de tempo, alternando os dias, se possível, pois é extremamente estressante para a pessoa que tem a tendência de acumular. Mesmo que eles demonstrem um certo "desinteresse", na verdade esse comportamento é uma ora de procrastinar a tarefa, pois é difícil para esses clientes se desapegar de objetos com grande valor sentimental ou crenças de que vai usá-los no futuro. Se precisar de outras informações, entre em contato pelo e-mail: suporte@desorganizacao.com.br Forte abraço,

      Excluir

Deixe aqui seu comentário. Sua opinião é importante para nós!

Fique por dentro das novidades

Digite seu endereço de email e fique por dentro das novidades!

O que você procura?

Contato:

suporte@desorganizacao.com.br
Telefone: 11 5524-2014

Destaques no blog

Subir